Imprima essa Página Mídia Mundo

terça-feira, 17 de maio de 2022

A resposta tardia do USA Today


The New York Times (Nova York, NY) publicou uma capa memorável domingo, monotemática, com a marca de um milhão de mortos por Covid.

USA Today (McLean, VA) não se organizou a tempo. E a resposta do impresso nacional veio somente hoje, 48 horas depois.

Criativo, é verdade. Trabalha com a bandeira dos EUA. Enche de informações relevantes, como uma linha do tempo e as diferenças demográficas.

Mas chegou depois.

segunda-feira, 16 de maio de 2022

O líder digital das Américas - segundo o próprio


A guerra de números - quando se fala em assinatura digital - é gigantesca. Não há controle sobre o que se alega e a realidade, há muita liquidação (meios que aceitam qualquer valor por uma assinatura) e aí ganha os holofotes quem soube fazer melhor o lobby pessoal.

Agora o Clarín (Buenos Aires, Argentina) se anuncia o maior veículo digital em idioma espanhol e também o maior das Américas. Segundo o próprio Clarín, são 521.765 assinantes ativos (dado de sábado, dia 14). Se esse número for real, são mais de 100 mil assinantes de vantagem para os brasileiros O Globo (Rio de Janeiro, RJ) e Folha de S. Paulo (SP) e bem mais que o dobro do que apresenta o líder espanhol El País (Madri, Espanha).

Clarín comemora um suposto estudo co INMA, respeitada associação de veículos de comunicação, que colocaria o argentino entre os 10 maiores do mundo. Mas não há link para tal estudo na matéria do Clarín, nem mesmo em uma busca do Google ou no site do INMA.

Como dizem os argentinos, "a ver".

domingo, 15 de maio de 2022

A capa histórica do The New York Times


O diário americano The New York Times (Nova York, NY) não costuma apostar em capa monotemática. O standard normalmente publica várias informações, oferecendo um espectro amplo das notícias. É seu estilo.

Só que hoje o NYT quebrou os protocolos e decidiu gritar contra a nada invejável marca de um milhão de mortos em decorrência da Covid nos Estados Unidos. O mapa é um primor: para cada vítima, um ponto preto. Isso faz com que o leitor entenda os núcleos onde a doença se desenvolve mais, mas ao mesmo tempo entende que a Covid não poupa nenhuma região.

Não importa que a vítima um milhão tenha sido conhecida na quinta-feira. O alcance de domingo é maior. A capa do NYTimes vai, certamente, ganhar vários prêmio de jornalismo. Uma aposta de coragem, um grito de revolta.

Para guardar como exemplo de ótimo jornalismo.

sexta-feira, 13 de maio de 2022

Manchetes previsíveis e idênticas


Quando os dois principais impressos de uma mesma cidade utilizam a mesmíssima manchete - de um fato nacional - é preciso acender a luz amarela. Algo não está bem na criatividade esperada na Barão de Limeira e no Limão.

Folha de S. Paulo (SP) e O Estado de S. Paulo (SP) estão praticando o jornalismo previsível, insosso, que não se diferencia, não apresenta valor agregado. E se é assim, não valem o investimento na compra de um exemplar.

Ou se mexe na estratégia editorial, ou a queda em circulação vai se acentuar.
 

segunda-feira, 9 de maio de 2022

Nasce um ídolo

Um impresso tem o dever de entender as tendências das ruas antes dos leitores.

É assim na Espanha, por exemplo. O tenista Carlos Alcaraz, 19 anos, venceu o Masters 1000 de Madri, desbancando todos os favoritos. Vai ser o melhor do mundo em breve, sem dúvidas.

Hoje é dia de comemorar. Nas capas. Não só em Múrcia, de onde saiu. Mas em toda Espanha.


 

quinta-feira, 5 de maio de 2022

Grande foto, grande manchete


Poucas vezes se vê, no jornalismo brasileiro, um casamento tão perfeito entre manchete e foto como na edição de hoje do Correio* (Salvador, BA).

A imagem - de Marina Silva - valoriza o diferente, o sangue escorrendo. A manchete faz trocadilho com o bairro onde ocorreu o crime.

Tudo muito bom.


terça-feira, 3 de maio de 2022

Uma senhora foto


OK, a foto é de agência.

Mas a imagem de capa de O Globo (Rio de Janeiro, RJ) de hoje é fantástica. Conta tudo com um olhar.

A seca e o calor na Índia preocupam. Não há margem para indiferença.

Quando uma foto dessa qualidade chega à Redação, bons jornalistas não têm dúvidas do impacto que ela causará. E, mesmo sendo na Rússia, incita a discussão sobre preservação do meio ambiente.

A foto é de Sajjad Hussein, da Agência France Press.