Imprima essa Página Mídia Mundo

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

O moderno e o clichê



The New York Times (Nova York, NY) está a cada dia mais moderno. O tempo serve para que a "velha senhora" do jornalismo entenda as necessidades informativas de seus milhões de leitores (cerca de 4 milhões de assinantes).

Já os concorrentes apelam para o clichê. Aquele jornalismo que não leva a lugar nenhum, apenas repete fórmulas.

Bastava responder a pergunta: o que importa do depoimento do embaixador Sondland, no processo que pode levar ao impeachment de Donald Trump? Seu rosto? Não, o conteúdo de sua fala.

Enquanto The Washington Post (Washington, DC), Los Angeles Times (Los Angeles, CA), Miami Herald (Miami, FL), Chicago Tribune (Chicago, IL) e USA Today (McLean, VA) dão enorme destaque às caras e bocas do diplomata, NYTimes aposta nas revelações. Branco sobre preto. O conteúdo que os americanos querem conhecer.

Mais uma aula de bom jornalismo do Times.



sábado, 9 de novembro de 2019

A mesma foto nos jornalões


Os fotógrafos de O Estado de S. Paulo (SP) e Folha de S. Paulo (SP) estavam lado a lado, como fazem tantas vezes, e clicaram juntos?

Não, a imagem das capas dos matutinos paulistanos é do repórter-fotográfico Ueslei Marcelino, da Agência Reuters.

Quando se usa material de terceiros há esse risco.

Coincidência a aposta dos dois pela mesma foto, ontem.

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Qual é o jornal mais feio?


Desde que a Internet passou a estar na vida de 10 entre 10 brasileiros, o impresso virou produto nobre, objeto de desejo. E, portanto, precisa ter ótima qualidade...e um desenho que chame a leitura.

Dois jornais brasileiros ainda não entenderam o momento. Hoje Diário dos Campos (Ponta Grossa, PR) e Diário de Taubaté (Taubaté, SP) disputam o nada honroso título de impresso mais mal desenhado do País.

Os dois são muito feios. E não conseguem hierarquizar informações.

terça-feira, 5 de novembro de 2019

O Globo se posiciona contra a política anti-jornalismo do Presidente


Agora é a vez de O Globo (Rio de Janeiro, RJ).

Os veículos de comunicação do Brasil já não suportam tantos xingamentos de baixíssimo nível de quem deveria ser o guardião da democracia nacional. O Presidente da República, que já ordenou que as instituições deixem de comprar jornais - e tenta retirar editais e balanços do modelo de negócio dos impressos - está se comportando como um déspota, que não aceita críticas ao ser (des)governo.

Pior para ele.

Hoje o matutino carioca, com extrema elegância, ataca o PR com luvas de pelica em editorial. Como uma ação sempre gera reação, é hora de esperar o que vem por aí pelos lados de Brasília.

Palmas a O Globo, que não ficou quieto.

domingo, 3 de novembro de 2019

Folha transforma limão em limonada


O Presidente da República, em um ato extremo de desrespeito à imprensa, ordenou o cancelamento das assinaturas da Folha de S. Paulo (SP) - a pediu para os anunciantes deixarem de ser clientes do jornal paulistano. Algo inédito no Brasil democrático.

Hoje a Folha respondeu em capa falsa.

Ótima reação. 

sábado, 2 de novembro de 2019

Folha esqueceu uma matéria


Aconteceu na edição de ontem da Folha de S. Paulo (SP). Há o espaço previsto para a matéria sobre o Brexit. Mas não a matéria.

Curioso. Esquecimento? Erro? É assim mesmo?

Na edição de hoje não há explicações.

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Escolha sua capa


O Extra (Rio de Janeiro, RJ) quer agradar toda torcida: hoje sai com duas capas, dependendo da vontade do leitor.

Criatividade para conquistar leitores.