Imprima essa Página Mídia Mundo

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

As mancadas de sexta-feira



Jornal é artesanato, é um exercício de criatividade diário. O fundamental é ter carinho, ser surpreendente todos os dias - sem brigar com a notícia.

O Diário de Taubaté (Taubaté, SP), sempre ele, faz tudo o que não se deve fazer - tudo em uma mesma capa:

1. Sete anúncios na capa, criando uma poluição visual absurda;
2. Das seis chamadas - entre ela a manchete - quatro apresentam a palavra "Taubaté". Taubaté está no nome do jornal também. E é onde circula o jornal prioritariamente. Precisa?
3. Confusão de chamadas que brigam por espaços. Há muito mais informação do que o espaço físico permite.

Já o Metro (Porto Alegre, RS) brigou com a notícia. Em Porto Alegre o assunto monotemático de 10 entre 10 cafés é o assassinato de uma mãe que buscava o filho menor na escola, no fim da tarde de ontem. Cadê?


quinta-feira, 25 de agosto de 2016

O dia em que o publicitário não quis levantar da cama



Mais uma vez acontece em Portugal.

O plano de mídia da agência parecia perfeito: um banner sobre o novo catálogo de uma ótima loja de móveis criativos e utilidades domésticas, com a expressão em caixa alta: Felizmente Chegou.

Só que não.

Debaixo de tragédias, como o terremoto na Itália, e de péssimas notícias locais, o anúncio mais parece um deboche.


Sem palavras


Depois do terremoto que destruiu três cidades italianas e deixou mais de 200 mortos, difícil colocar palavras em fotos tão informativas.

Tristeza na Itália.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Fotos contam histórias


Fotografia não é ocupação de espaço. É informação. Se não contarem histórias, não servem.

A Gazeta (Vitória, ES) e O Popular (Goiânia, GO) sabem disso e destacam boas imagens que contam histórias na capa.

A capixaba é de Edson Chagas. A goiana de Zuhair Mohamad.

Dois exemplos de como as fotos devem ser bem aproveitadas pelos jornais.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

No Brasil festa e ranço


No Rio tudo é festa. Metro (Rio de Janeiro, RJ) comemora como um carioca. O Globo (Rio de Janeiro, RJ) é previsível e tenta colocar mais informações do que o dia (de ressaca) merece. Curioso é que a foto não é de sua numerosa e ótima equipe de imagens, mas de Fabrizio Benschi, da Reuters.

Folha de S. Paulo (SP) e O Estado de S. Paulo (SP) se contaminam com o pessimismo paulistano. Os dois apostam na informação de que o Brasil não bateu a meta de medalhas pretendida. Como se isso tivesse alguma relevância.

Verdade que a foto da Folha é a melhor entre os jornais brasileiros - curiosamente, sem crédito. A do Estadão é do tempo em que jornais apostavam todas as fichas no breaking news. Do século passado.


Foi bonita a festa...


sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Medalha de latão para Lochte


Ryan Lochte não é Michael Phelps, mas coleciona 12 medalhas olímpicas em seus 32 anos de idade. Um currículo e tanto.

Mas a molecagem da noite de sábado pode manchar o que a genial carreira deste nadador americano construiu.

Os jornais americanos que o digam.