Imprima essa Página Mídia Mundo: 2018

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Outra vez Sabadell


Não basta ter o melhor desenho, um projeto editorial vencedor e uma perfeita organização. Um jornal precisa ter, acima de tudo, uma equipe inteligente. Criativa. E sensível.

O Diari de Sabadell (Sabadell, Espanha) com apenas duas semanas de "renascimento" está encantando pela qualidade de seus temas, dos seus enfoques.

A capa da edição que vai às bancas amanhã é uma obra de arte.

sábado, 7 de julho de 2018

Brasil fora da Copa - Três acertos


Depois da decepção, a ressaca.

No dia seguinte é preciso enxergar além do normal.

Estado de Minas (Belo Horizonte, MG) foi em busca das seis razões para a eliminação.

Pioneiro (Caxias do Sul, RS) concentrou-se em Tite, seu "filho" mais famoso do momento.

E o popular Notícia Agora (Vitória, ES) traduziu com muito humor o sentimento do capixaba: a folga de terça foi cancelada. Poderia ter sido mais ousado, colocando isso na manchete. Mas o meio do caminho já é alguma coisa.



Brasil fora da Copa - Nada pior que dizer o obvio


Em pleno 2018, não há mais espaço para jornais impressos que dizem obviedades.

O Diário do Norte do Paraná (Maringá, PR) errou feio. Impossível abrir a carteira e comprar um diário com essa capa.

Parece a derrota em 1966.

Brasil fora da Copa - Duas versões da mesma ideia


Jornal da Cidade (Bauru, SP) e Jornal do Commércio (Recife, PE) tiveram a mesma ideia: traduzir o sentimento do brasileiro após a derrota, em imagens.

OK, tudo certo.

Mas se a imagem fala por si, como diz o diário do interior paulista, por que escrever isso?

Faça como o jornal pernambucano. Deixe a imagem falar. E não escreva nada.

quinta-feira, 5 de julho de 2018

É sério isso?


Taubaté, ai Taubaté.

A edição de hoje do Diário de Taubaté (Taubaté, SP) é tão ruim que até parece fakenews, que essa não é a verdadeira primeira página.

1) Manchete que não se preocupa em alinhar a linha de baixo;
2) Manchete que diz o que 200 milhões de brasileiros já sabem desde segunda-feira;
3) Texto de apoio à manchete horroroso, popular "encher linguiça". Uma aula de como não dizer nada em quatro colunas;
4) Foto dominante de arquivo, de uma porção de chaves e chaveiros desconexos. Para ilustrar matéria de investimento do governo;
5) Foto de arquivo de ambulâncias para falar de aumento de tráfego na estrada;

Hoje o DT se superou na ruindade e irrelevância.

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Provocação francesa, resposta argentina


O esportivo L`Équipe (Paris, França) foi às bancas hoje com a provocação à Argentina, adversária de amanhã.

Em bom espanhol: No Pasará.

O argentino Olé (Buenos Aires, Argentina) revidou. Apenas apagou o "No" e circulou nas redes sociais horas depois.

Quem tem razão? Amanhã às 11h se saberá.

quinta-feira, 28 de junho de 2018

O renascimento de um jornal local


Para que serve um jornal local? Para servir seu público, falar das coisas que interessam à comunidade.

O Diario de Sabadell (Sabadell, Espanha) foi relançado terça-feira. A cidade, nos arredores de Barcelona, tem pouco mais de 200 mil habitantes, muitos dos quais trabalham na vizinha mais famosa.

Mas há um público local que quer um jornal em papel. E a solução para recuperar sua saúde foi repensar o produto. Por inteiro. E de maneira rápida.

O jornalista/advogado/empresário Marc Basté decidiu apostar na recuperação da marca (Midiamundo não publica aqui o modelo gráfico antigo para não assustar os leitores...). Pediu ajuda a amigos/colaboradores, para que algo novo pudesse acontecer em não mais de 40 dias. O sócio-diretor de Midiamundo, Eduardo Tessler, assumiu a nova proposta editorial e de organização da equipe. O diretor digital de Midiamundo Chus del Rio trabalhou forte no desenvolvimento do novo site (www.diaridesabadell.com). E o designer espanhol Antonio Martín traduziu a nova ideia em páginas.

Estivemos trabalhando juntos, em Sabadell, por não mais que quatro dias. O resto em remoto. Basté soube coordenar sua equipe - dentro dos princípios propostos e aceitos - e o resultado é fantástico.

As duas primeiras capas estão acima. E, para os curiosos, todo o primeiro número abaixo.

A cidade de Sabadell adorou. O Diari renasceu. Há futuro para produtos que entendem a necessidade de sua audiência.

PS: o jornal é em catalão, mas vale ver suas páginas.

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Atrasados e passando recibo


Já está ficando chato, mas jornais do Sul do Brasil esquecem que um dia tem apenas 24 horas. E acreditam que o leitor é bobo.

Jornal de Santa Catarina (Blumenau, SC) utiliza a foto da vitória da Alemanha (sábado) como a principal imagem da capa de hoje, segunda-feira. Zero Hora (Porto Alegre, RS) publica a mesma foto, pelo menos não como principal. Só que a Copa teve (bons) jogos também ontem, domingo.

Como é possível que algum editor aceite esse exercício de preguiça, que simplesmente ignora o passar do tempo? Como publicar foto de sábado na principal página de segunda, ignorando a lógica do tempo? São jornais que passam recibo de informação descartável, nada necessária.

E depois tentam adivinhar porquê a circulação está em queda livre.


domingo, 24 de junho de 2018

Sensibilidade a mil na capa sem manchete



Aconteceu ontem, mas ainda vale.

O Meia Hora (Rio de Janeiro, RJ) soube relacionar dois fatos simultâneos que estão na ordem do dia do carioca.

Ponto em comum: o choro.

Brilhante.

sexta-feira, 22 de junho de 2018

A potente capa da Time


Brilhante a capa da revista Time (Nova York, NY) dessa semana.

Melhor ainda a história por trás da foto, em reportagem do The Washington Post (Washington, DC) e traduzida por O Estado de S. Paulo (SP).

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Duas leituras de um mesmo release


2 mil ou 8 mil?

Diário do Nordeste (Fortaleza, CE) fez a leitura do levantamento do Caged sobre geração de empregos levando em conta apenas o mês de maio.

O Povo (Fortaleza, CE) foi mais longe e bancou o crescimento em 2018. Por isso os números - sobre o mesmo assunto - são diferentes.

Nenhum dos dois foi mais além do que o boletim oficial anunciou.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Para que serve um jornal local?


A síndrome de querer ser um jornal relevante em todo o Brasil chegou a Santa Catarina.

Em um dia absolutamente normal de Copa do Mundo - não é dia de jogo do Brasil, nem dia seguinte - o Diário Catarinense (Florianópolis, SC) esquece que está em um pequeno estado no Sul do Brasil e ataca de jornal esportivo nacional. Não para falar dos clubes locais, mas de um treino da Seleção Brasileira. Com duas fotos da Rússia na capa! Como se isso fosse o mais importante do dia para os leitores.

Houve um tempo em que a audiência se informava pelos jornais. Isso acabou lá pela Copa de 2002 ou 2006. Em pleno 2018, o DC chegou às bancas quando Neymar já estava recuperado e confirmado para o time de sexta-feira. Ou seja, notícia velha. E irrelevante para a cidade.

O leitor deseja, em seu jornal local, algo que só aquele veículo pode dar: relevância local, o exclusivo da região.

Gol contra do Diário.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Derrubando tabus


Sim, essa é a capa da edição inglesa de The Economist (Londres, UK), a mais respeitada revista de economia da Europa.

Mau gosto? Não. Criatividade.

As revistas buscam espaço na floresta da informação. E precisam chamar a atenção. Mas de maneira inteligente. Neste caso, é para falar de como a Inglaterra deve ser mais macia na questão do Brexit.

terça-feira, 12 de junho de 2018

Afinal, o governador apoia ou não?


Difícil saber, lendo os jornais O Povo (Fortaleza, CE) e Diário do Nordeste (Fortaleza, CE), se o governador cearense Camilo Santana - do PT - vai ou não apoiar o ex-governador Ciro Gomes - do PDT - na corrida à presidência.

Quando o mesmo fato é interpretado de maneira diferente pelos meios de comunicação, quem não consegue se situar é o leitor.

sábado, 26 de maio de 2018

Como falar da crise com alguma criatividade


Três bons exemplos de como contar o movimento dos caminhoneiros de forma diferente.

Estado de Minas (Belo Horizonte, MG) usa a capa para contextualizar, contar uma história do início ao fim.

O Estado de S. Paulo (SP) vai pela explicação, o Por Que - com uma ótima foto da Ceagesp vazia.

Já o Diário Catarinense (Florianópolis, SC) mostra a consequência literalmente nas costas da população.

Os três encontraram uma saída para fazer a edição de papel do dia seguinte ser relevante.




quarta-feira, 23 de maio de 2018

RIP Alberto Dines


Alberto Dines morreu ontem, levando junto uma boa dose de criatividade.

Como exemplo, dois golaços de Dines no tempo em que era editor-chefe do Jornal do Brasil (Rio de Janeiro, RJ).

À esquerda, o dia em que a censura proibiu que a morte de Salvador Allende fosse manchete: o jornal saiu sem manchete.

À direita, no dia do AI-5 as mensagens subliminares como a previsão do tempo (Tempo negro. Temperatura sufocante. O ar está irrespirável. O país está sendo varrido por fortes ventos. Max: 38 graus, em Brasília. Min: 5 graus, nas Laranjeiras.

Descanse em paz, Dines.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Como ir além da notícia


Não é muito difícil enxergar mais além da linha conservadora. Basta pensar um pouquinho.

Foi o que fez O Povo (Fortaleza, CE) ao tratar da consequência do ato de regulamentação dos aplicativos. Para o leitor, o transporte ficará mais caro.

Já o Diário do Nordeste (Fortaleza, CE) prefere a velha maneira de se fazer jornalismo: publica-se o fato apenas. Dá menos trabalho e ninguém se compromete.

Só que o leitor já deu o seu recado: abandonou as bancas e vem cancelando assinaturas. Esse jornalismo não interessa mais.