Imprima essa Página Mídia Mundo

sexta-feira, 24 de junho de 2022

Brasil, um dos países com menor liberdade de imprensa nas Américas


Saiu o Índice Chapultepec de Liberdade de Expressão e Imprensa 2021, estudo da SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa) e da Universidad Católica Andres Bello (Caracas, Venezuela) para monitorar as liberdades nas Américas. Entre os 22 países pesquisados o Brasil ocupa a posição 19. 

O Brasil nunca esteve tão mal, desde que se medem as liberdades de imprensa e de expressão. Só fica à frente de Nicarágua, Cuba e Venezuela, por motivos obvios. O vizinho Uruguai libera, seguido pelo Chile.

O estudo completo está aqui, enquanto a apresentação do trabalho será terça-feira, 14h do Brasil. Inscrições grátis e abertas.

 

quinta-feira, 23 de junho de 2022

A piada que só poucos ousaram contar


A piada estava pronta.

Há poucos meses, o Presidente da República defendeu seu então Ministro da Educação dizendo que colocaria não apenas a "mão no fogo", mas também a cara.

Ontem o Ministro foi preso.

O bom impresso é aquele que entende a situação, aproveita oportunidades como essa e diverte o leitor. 

Estado de Minas (Belo Horizonte, MG) captou o espírito. 

Extra (Rio de Janeiro, RJ) tentou, mas ficou devendo.

Os outros foram pelo obvio. E perderam a chance.

 

segunda-feira, 20 de junho de 2022

Jornais da RBS insistem em subestimar leitor


O que há com os impressos do Grupo RBS? Será que não valeria a pena escutar os leitores?

Como é possível que Zero Hora (Porto Alegre, RS) e Diário Gaúcho (Porto Alegre, RS) ignorem o calendário e o relógio? Ou como explicar que um jogo de futebol ocorrido na manhã de sábado esteja, na segunda-feira, dividindo espaço nas capas com outro jogo que aconteceu na noite de domingo, mais de 30 horas depois? 

Chama-se "passar recibo de jornalismo velho e caduco" quando um impresso entrega em sua página principal a cobertura de um evento ocorrido 48 antes de o jornal chegar à casa do assinante.

São por decisões conservadoras e atrasadas como essa que não chega a ser estranha a queda acentuada de leitores dos jornais gaúchos.


 

sexta-feira, 17 de junho de 2022

Uma vergonha anunciada

Desde que um certo ministro do Meio Ambiente sugeriu "abrir as porteiras para passar a boiada", já se sabia que as consequências ambientais, sociais e humanas na Amazônia seriam desastrosas - pelo menos até 31 de dezembro de 2022, data do final do atual governo no Brasil.

O que não se imaginava era a repercussão que o "vale-tudo" poderia causar. O assassinato do jornalista inglês Dom Phillips (ao lado do sertanista Bruno Pereira) é o absurdo colocado na vitrine, para todo o mundo ver e se espantar.

The Guardian (Londres, UK), para quem Phillips colaborava, dedica meia capa à tragédia. Isso não vai ser esquecido tão cedo.

A boiada passou, mas alguns zebus eram maiores do que aquele ministro imaginava.

Lamentável. E triste.

quarta-feira, 15 de junho de 2022

SBT é a marca de maior confiança entre os meios de comunicação no Brasil







Saiu o esperado anuário Digital News Report 2022, editado pelo Reuters Institute e apoio da Universidade de Oxford. É leitura para análise com calma, observando as conclusões muito interessantes para quem vive o mundo digital.

Algumas informações sobre o Brasil:

* 54% dos entrevistados não estão mais interessados em "notícias". Isso é explicado pelo cansaço de "más notícias" e também pelo momento político-social do país. 

*A TV Globo é a marca mais lembrada entre as mídias analógicas, com 44% dos entrevistas admitindo terem assistido pelo menos uma vez por semana. Seguem TV Record (35%), TV SBT (28%), O Globo (24%) e alguma publicação regional/local (23%).

* Entre os digitais quem lidera é Globo.com (44%), UOL (41%), R7 (30%), O Globo (27%) e Yahoo (17%).

* 18% admitem pagar por notícias nos meios digitais.

* A confiança nos meios de comunicação no Brasil caiu de 54% para 48%.

* As marcas de maior confiança entre os entrevistados são SBT (62%), Record (61%), Meios locais/regionais (61%), Band (61%) e UOL (57%).

* Apenas 27% dos entrevistados acreditam que os meios de comunicação no Brasil são independentes de influência polícia, econômica ou governamental.

quinta-feira, 9 de junho de 2022

O Globo leva prêmio do INMA


O Globo (Rio de Janeiro, RJ) foi o grande vencedor brasileiro nos Prêmios INMA (International News Media Association) 2022. A competição reconhece ideias e iniciativas de veículos de comunicação em busca de audiência, novas receitas, engajamento, criatividade e fundamentalmente boas ideias. 

O Globo venceu na categoria Melhor Ideia para Engajar a Audiência, entre marcas nacionais, com o projeto O Globo LGBTQIAP+, de 28 de Junho de 2021, que até mexeu no logo do diário carioca.

Os brasileiros costumam ganhar reconhecimento no INMA, mas dessa vez só O Globo, Valor Econômico (SP) e Editora Globo (SP) tiveram alguma menção.

Os vencedores aqui.



Os números da publicidade no Brasil


O primeiro trimestre movimentou R$ 3,45 bilhões em publicidade no Brasil, segundo o CENP (Conselho Executivo das Normas-Padrão).

A primeira conclusão não é boa: proporcionalmente, o volume caiu, em relação ao ano passado (apenas 17,5% do total de 2021). Mas como o investimento em publicidade é sazonal, o número está dentro do esperado para os meses de janeiro, fevereiro e março - quando tradicionalmente o investimento cai, pela ressaca do fim do ano.

Houve um significativo crescimento em mídia exterior e em TV por Assinatura. Mas ainda será preciso esperar os novos balanços, na metade do ano, para se entender o comportamento real.


A comparação do gráfico não é científica. São os valores consolidados de 2021 (apenas os percentuais por mídia) em azul e os percentuais do primeiro trimestre de 2022 - em verde. Mas serve para se tirar as primeiras conclusões.


PS: do Facebook de José Maurício Pires Alves