Imprima essa Página Mídia Mundo

segunda-feira, 24 de junho de 2019

O jornalismo engana-leitor não funciona mais


Que dia o Brasil aplicou 5 a 0 na seleção do Peru?

Sábado.

Que dia é hoje?

Segunda-feira.

Então por que Zero Hora (Porto Alegre, RS) e Diário Gaúcho (Porto Alegre, RS) insistem em publicar resultado e fotos de jogos de sábado na segunda?

A única explicação é teimosia de quem ainda não entendeu para que serve o impresso em 2019. Tratar o leitor como um ermitão, isolado do mundo, que só se informa pelo impresso, é chamá-lo de alienado. E ninguém gosta de pagar por um exemplar e ser carimbado como otário.

Talvez isso explique a queda livre na circulação dos jornais da RBS no Sul. Se há 15 anos ZH vendia mais de 200 mil exemplares impressos, hoje está em cerca de 80 mil. E caindo.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Faltou o último olhar


É inadmissível para um impresso confundir duas histórias.

Na capa de hoje do Super Notícia (Belo Horizonte, MG), a foto da atriz Paolla Oliveira, em pose sexy e com pouca roupa, invade a área da manchete, cujo tema é estupro.

Por mais popular que seja o jornal, esses escorregões são um tremendo gol contra. É a desinformação impressa.

sexta-feira, 7 de junho de 2019

A crise do impresso passa pela cultura visual


O jornal O Liberal (Belém, PA) é um exemplo de como o conhecimento gráfico-visual pode ajudar ou atrapalhar uma página.

A capa de hoje tem uma definição positiva: as fotos de manifestantes nos dois lados da manchete - e uma imagem principal de pessoas na rua, protestando. Tudo ótimo, ajudam a contar uma história no primeiro olhar.

Mas agora: por que a mudança repentina de tamanho da fonte da manchete, entre uma e outra linha? Para ajustar a terceira linha com a primeira?

Não, não é assim que funciona. Isso é uma barbeiragem gráfica. Se o aumento revolta a população, esses escorregões (muito comuns na capa do diário paraense) revoltam o leitor.

O impresso só sobrevive sendo um produto bem tratado, inteligente, bonito, amigável. Desse jeito os leitores se vão.

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Uma foto a mais


O Jornal do Commércio (Recife, PE) costuma pensar bem em suas capas, tentando passar a mensagem principal da melhor forma possível.

Mas hoje pecou pelo excesso. Duas imagens que competem entre si e não fazem um conjunto de uma só leitura - mesmo tratando do mesmo assunto.

Seria melhor ter apostado em uma delas apenas, talvez com um corte menos horizontal. Daria muito maior impacto.

Mas agora é tarde.

sábado, 18 de maio de 2019

O Dia, outra vez sensacional


O impresso serve para a pós-notícia, para a análise, a crítica, o exclusivo. E isso deve ser transmitido da maneira mais criativa. A narrativa linear - título, texto e foto - muitas vezes vira paisagem.

O Dia (Rio de Janeiro, RJ) é desses jornais que não quer ser mais um na banca. Pretende mostrar para que serve.

Se o túnel do Rio desabou, a capa de O Dia também vira pedacinhos.

Excelente!

quinta-feira, 16 de maio de 2019

A melhor capa do dia


Mesmo com o povo nas ruas, poucos jornais conseguiram fazer uma capa que combine com a importância das manifestações de ontem.

O melhor, de longe, foi O Dia (Rio de Janeiro, RJ).

Simples e direto.

quarta-feira, 15 de maio de 2019

A melhor foto do ano


Lula Marques é um daqueles fotógrafos cuja obra dispensa legenda.

Hoje, na Câmara de Deputados, ele - mais uma vez - arrasou.

Genial!