Imprima essa Página Mídia Mundo: 2022

quarta-feira, 7 de dezembro de 2022

Alegria e tristeza na Península Ibérica


No mesmo dia, Portugal foi avassalador e Espanha uma desilusão. Coisas da Copa.

As capas dos principais impressos esportivos dos dois países deixa o sentimento claro.

A Bola (Lisboa, Portugal) comemora. As (Madri, Espanha) lamenta.
 

quinta-feira, 1 de dezembro de 2022

A caminho do fim

 



O projeto da CNN Brasil, franquia do canal de notícias 24 horas dos EUA, pode estar chegando ao fim, depois de apenas 3 anos de operações.

A CEO Renata Afonso saiu na semana passada, sentindo o clima pesado na emissora - onde as contas não fecham e a carga de anúncios deverá ser reduzida com a troca de governo.  Hoje (quinta-feira) fechou a sucursal do Rio de Janeiro e já são mais de 100 demissões.

Monalisa Perrone, Sidney Rezende e Gloria Vanique são alguns dos ex-globais que perderam o emprego nas últimas horas.

Quando uma empresa jornalística decide reduzir custos cortando as cabeças que fazem a diferença, o caminho para o fechamento fica mais curto.

terça-feira, 29 de novembro de 2022

Os símbolos digitais em um mundo analógico


Os trabalhos desse post são da designer argentina Luli Kibudi.

Uma leitura sensacional dos ícones do mundo digital.


 

quarta-feira, 23 de novembro de 2022

Outro impresso deixa as bancas


Agora aconteceu no Rio.

O popular Expresso da Informação (Rio de Janeiro, RJ), popular do Grupo Globo, saiu de circulação na semana passada. É a morte de um jornal que nunca aconteceu, na verdade.

Com mais de 10 anos, o Expresso nasceu para bater de frente com o irreverente Meia Hora (Rio de Janeiro, RJ), posicionando o Extra na mesma faixa de O Dia, e assim reinando absoluto como generalista com O Globo no Rio. A ideia até funcionou como posicionamento, mas não como produto. Nunca conseguiu pagar suas contas.

Expresso era produzido por uma pequena equipe que reaproveitava matérias do Extra, editando em formatos compactos. Tudo para que o tabloide chegasse às ruas com poucas páginas e em formato tabloide - e assim mais barato. Mas não é fácil competir nas bancas.

O último exemplar do Expresso circulou semana passada.

segunda-feira, 21 de novembro de 2022

Um convite a fugir do impresso

O principal motivo para a queda livre dos jornais impressos é a falta de relevância. Os editores acreditam que ainda estão em 1990, quando a notícia da véspera precisava ser destacada. Digital? Não existe. TV? Também não.

E aí entra o talento (ou a falta) de quem escolhe esse destaque.

Pelo menos três impressos brasileiros não olharam a agenda, não sabem em que ano estamos. Diário de Pernambuco (Recife, PE), Diário Gaúcho (Porto Alegre, RS) e O Tempo (Belo Horizonte, MG) apostam manchete e foto principal a um jogo de futebol sem a menor importância, Catar x Equador. Foi a abertura da Copa, verdade, mas semana que vem ninguém lembra.

Erro de principiante. Nada mais piloto-automático do que publicar esse jogo.

Enquanto isso os leitores seguem desaparecendo - agora com mais razão.


 

quinta-feira, 10 de novembro de 2022

A última homenagem a Gal


A despedida da maior cantora do Brasil não é fácil, ainda mais quando o país é pego de surpresa.

Correio* (Salvador, BA) escolheu a imagem mais viva da musa. Linda. Sensual. Vibrante. 

Folha de S. Paulo (SP) e O Globo (Rio de Janeiro, RJ) optaram pela polêmica dos seios no palco, em um show de 1994.

Não há certo ou errado. São as imagens que ficarão para sempre - ao lado da voz de Gal Costa - nos corações brasileiros.


 

quarta-feira, 2 de novembro de 2022

Brasil está nas capas do mundo


O Brasil não sai das capas dos jornais do mundo. Seja pela manifestação do presidente de saída, ou pela análise da nação que o novo presidente herda.

O país está no centro das atenções de todo o planeta. É muito importante deixar de ser pária e voltar a ser pátria.


 

terça-feira, 1 de novembro de 2022

Deu no Financial Times


A importância dos próximos quatro anos para o Brasil é tanta que o respeitadíssimo Financial Times (Londres, UK), bíblia da economia mundial, dedicou a capa de hoje para explicar o significado da vitória de Lula.

Os investidores estão otimistas.

segunda-feira, 31 de outubro de 2022

Extra lembra Getúlio


Quando Getúlio Vargas venceu as eleições de 1950, a música que o Brasil cantava dizia "Bota o retrato do velho outra vez, bota no mesmo lugar". Era tempo das fotos dos presidentes nas paredes das casas dos admiradores.

Agora Lula chegou lá pela terceira. E o Extra (Rio de Janeiro, RJ) lembrou Getúlio.

Sempre com bom humor.

quinta-feira, 27 de outubro de 2022

A foto do ano


Quando uma mesma imagem está nas capas dos principais impressos do mundo significa que não há dúvidas quanto a qualidade ou caráter informativo.

A foto de hoje na primeira página dos jornais do Brasil e do mundo todo é um desses casos. Absolutamente genial. Candidatíssima a prêmios.

Pena que não há o nome do autor nos créditos, apenas a AFP.





 

terça-feira, 25 de outubro de 2022

As coincidências da Argentina

Uma propaganda que cruza fronteiras, diverte e ainda informa precisa ser comemorada.

A Cervejaria Quilmes consegue tudo isso e ainda une o país para a Copa que está chegando.

A Lei das Coincidências.

Genial.


domingo, 23 de outubro de 2022

Folha assume posição


Demorou, mas a Folha de S. Paulo (SP), enfim, abriu seu voto. Na capa.

Um veículo de comunicação pode - e deve - tomar partido, desde que isso não contamine a cobertura editorial. A imprensa americana está acostumada com isso. No Brasil nem tanto, há um dogma de que não se deve abrir mão da imparcialidade (e que imparcialidade é essa???).

Hoje, uma semana antes do segundo turno das eleições, o editorial Ameaça Autocrática é um aceno para o posicionamento do jornal.

sexta-feira, 21 de outubro de 2022

A irreverência inglesa




O humor da imprensa inglesa é algo que sempre chamou a atenção. Ainda mais nos populares.

O Daily Star (Londres, UK), crítico à premier Liz Truss, iniciou uma campanha na semana passada. Depois de chamá-la de Lettuce (Alface), um trocadilho com seu nome, o DS colocou uma webcam direcionada a uma alface americana - comprada por 0,60 libras, cerca de R$ 3,50 - e lançou o desafio: quem durará mais tempo, a alface ou Liz no cargo?

Seis dias depois, a alface segue viva. Liz caiu. Ontem o simpático desenho da verdura foi projetado nas paredes do parlamento.

Ganhou a criatividade, a irreverência.




 


















quarta-feira, 19 de outubro de 2022

Simples e esclarecedor


Os americanos estão enfrentando uma alta de preços como há muito não havia. A inflação toca nos bolsos e muda os hábitos da população.

Hoje o USA Today (McLean, VA) decidiu transformar o sentimento acumulado desde 2019 em gráfico. E ficou ótimo.

Não foi preciso grandes artes, mas uma pitada de bom senso.

Impossível não entender o quadro.

sábado, 15 de outubro de 2022

Grosseria de ex-ministro gaúcho é capa em SP e RJ, mas não no RS


Aconteceu ontem um debate entre os candidatos ao governo do Rio Grande do Sul, nos estúdios da Rádio Gaúcha/Grupo RBS (Porto Alegre, RS).

O clima pesou. Mas a prova da irresponsabilidade e da falta de caráter de um candidato ocorreu no final, ao negar-se a cumprimentar seu adversário - que ficou com a mão estendida, em vão.

É o resumo do embate. Um exemplo de como o extremismo raivoso não tolera a troca de ideias. E de cumprimentos - um sinal de civilidade.

O ato infeliz do ex-ministro é capa de Folha de S. Paulo (SP) e de O Globo (Rio de Janeiro, RJ). Mas não aparece na primeira página do jornal local Zero Hora (Porto Alegre, RS), do mesmo Grupo RBS


É preciso ir até a página 6, na coluna de política, para ver - timidamente - uma das fotos da grosseria explícita do candidato. Ou seja, de alguma forma Zero Hora considerou o gesto do ex-ministro como algo menos importante. Talvez tenha acreditado que era preciso "não assumir um lado". E escondeu.

Mas a julgar pela repercussão nos impressos nacionais, a decisão foi equivocada.

quarta-feira, 12 de outubro de 2022

Crianças e eleições


Há duas informações importantes e relevantes no país: eleições e dia das crianças. Parecem distantes, a menos que a criatividade ajude a reduzir esse espaço.

Estado de Minas (Belo Horizonte, MG) e Diário da Região (São José do Rio Preto, SP) relacionaram os dois fatos do dia. Não chega a ser uma "obra-prima", mas funcionou muito bem para uma quarta-feira de feriado.

quarta-feira, 5 de outubro de 2022

Criatividade na busca de soluções


Esse trabalho já tem mais de dois anos, mas só recebi agora. É a capa do suplemento de reportagens Crónica, de El Mundo (Madri, Espanha), que sai aos domingos.

A matéria era sobre Júlia, um bebê que não chegou a nascer - morreu no ventre de sua mãe, vítima de Covid-19.

Como editar/ilustrar algo tão duro?

A solução do diretor de arte Rodrigo Sánchez é absolutamente genial.

terça-feira, 4 de outubro de 2022

Uma ótima reportagem multimídia


Há muita confusão no jornalismo sobre o que é uma reportagem multimídia. Várias matérias que se apresentam como tal não passam de uma reportagem monomídia, com alguns "puxadinhos".

O segredo para que um trabalho seja multimídia não é apenas a oferta de conteúdos em texto, imagens, vídeos, áudios e gráficos, mas a maneira como essas linguagens se conectam. E a necessidade de cada uma delas.

O Expresso (Lisboa, Portugal) apresenta uma reportagem com ótimos features. A começar pelo tema escolhido, que interessa a todos e se presta para mais de uma plataforma.

Se há um problema no material do Expresso é a falta de vídeos, que poderiam complementar a reportagem. Ficou para a próxima.